© Pedro Menezes
© Pedro Menezes
© Câmara Municipal do Porto Santo
© Neide Paixão
© Câmara Municipal do Porto Santo
© Élvio Sousa
© Susana Fontinha
© Élvio Sousa
© Francisco Fernandes
© António Aguiar
© Susana Fontinha
© Élvio Sousa
© Pedro Menezes
© Filipe Viveiros
© Élvio Sousa
© Pedro Menezes

Época Natalícia

 

As missas do Parto antecedem a grande festa e são uma tradição do arquipélago da Madeira vivida intensamente na Ilha do Porto Santo. Durante nove dias antes do Natal, correspondentes aos nove meses de gravidez da Virgem Maria, celebra-se uma missa às seis horas da manhã, cuja animação está a cargo de vários grupos da comunidade. Terminada a missa do parto, seguem-se momentos de convívio, antecedendo as obrigações profissionais, que incluem as apreciações gustativas, não faltando a canja, as sandes de galinha, os biscoitos e os licores, bem como animação.

Nas vésperas do Natal tem lugar o tradicional Mercadinho de Natal, onde são apresentadas as tradicionais iguarias natalícias bem como artesanato local, em ambiente festivo. A abastada ceia de Natal característica do Continente Português é substituída pela canja e sandes de galinha, constituindo uma refeição simples, que antecede a participação nas cerimónias da Missa do Galo, celebrada à meia-noite de 24 para 25 de dezembro. Esta missa inclui a apresentação de um auto de Natal envolvendo a comunidade, e as tradicionais romagens dos “pastores”. No dia seguinte, a mesa apresenta a tradicional carne de vinho d’alhos, carne de porco frita e pão caseiro frito na gordura remanescente. Os doces tradicionais são as rosquilhas, os biscoitos e as broas de mel, acompanhados de licores numa variedade de sabores para todos os gostos e provas.

Broas de mel Rosquilhas

O presépio, localmente designado de “lapinha”, é motivo de orgulho de cada casa. Para tal, é prática o empilhamento de móveis forrando-os com papel pardo, previamente retocado com viochene, conferindo uma coloração castanho-escura. O musgo pincela de verde o presépio, com as suas figuras de barro e as casinhas e flores de papel que passam de geração em geração, sendo espalhadas pelo cenário. Verdadeiras obras de arte que se mantêm até ao dia de Santo Amaro.

Presépio (c) Pedro Menezes

 

Promotores

logo CMPS           logo DRAPS           logo Folclore       logo aream

Logo SRA        Logo IFCN

Back to Top