© Pedro Menezes
© Pedro Menezes
© Câmara Municipal do Porto Santo
© Neide Paixão
© Câmara Municipal do Porto Santo
© Élvio Sousa
© Susana Fontinha
© Élvio Sousa
© Francisco Fernandes
© António Aguiar
© Susana Fontinha
© Élvio Sousa
© Pedro Menezes
© Filipe Viveiros
© Élvio Sousa
© Pedro Menezes

Participação da comunidade local

 

A participação e envolvimento da comunidade local no processo de preparação da candidatura da Reserva da Biosfera da Ilha do Porto Santo deu-se desde o anúncio da intenção, com a realização de uma sessão pública no início de janeiro de 2018, na cidade do Porto Santo. Foram desenvolvidos diversos contactos com representantes de instituições locais, públicas e privadas, para divulgar os objetivos do Programa MAB e a sua importância para o desenvolvimento sustentável do Porto Santo, e, assim, acolher propostas participativas para o estabelecimento da Reserva da Biosfera da Ilha do Porto Santo.

Desde o anúncio da candidatura, diversas iniciativas têm contribuído para o esclarecimento e envolvimento da comunidade. A inclusão de atividades no Programa de Educação Ambiental para as Escolas Básicas do 1º Ciclo somente sobre a candidatura, envolvendo cerca de 100 alunos mensalmente, e a representação do Município do Porto Santo nos conselhos Eco-Escolas de todos os estabelecimentos de ensino da ilha, tem permitido estabelecer metas e objetivos comuns dentro das comunidades escolares e simultaneamente o envolvimento nesta candidatura. Tem também existido um esforço na divulgação de informação sobre a Reserva à comunidade, através de newsletters e suportes informativos, disponibilizados nos principais locais públicos de atendimento da ilha. É de sublinhar, pela sua relevância, a realização do evento “Porto Santo - Reserva da Biosfera da UNESCO: Oportunidades e Desafios”, organizado pelo GT-PSRB, de 28 a 30 de novembro de 2018, dirigido ao público em geral, que teve como objetivo dar a conhecer este galardão da UNESCO e elucidar sobre a forma desta atribuição poder contribuir para a promoção dos seus valores naturais e patrimoniais e para o desenvolvimento da economia local baseada no turismo sustentável. Esta iniciativa revelou-se de significativa importância no seio da comunidade local, incutindo nos intervenientes o espírito de pertença a uma terra com potencial para se assumir como Reserva da Biosfera da UNESCO. Esta iniciativa foi validada pela Secretaria Regional de Educação como ação de formação para professores e incluiu a oficina pedagógica “Porto Santo – Reserva da Biosfera: Que Contributos do Programa Eco-Escolas?”, que incidiu sobre a importância da educação e do programa Eco-Escolas no envolvimento da comunidade local no âmbito das Reservas da Biosfera. O evento acolheu o interesse de cerca de 80 pessoas.

Cartaz - Programa "Porto Santo - Reserva da Biosfera da UNESCO: Oportunidades e Desafios"  

 

Abertura oficial do evento "Porto Santo - Reserva da Biosfera da UNESCO: Oportunidades e Desafios"

 

(Re)descobrir o Porto Santo, 2018 - Casas de salão (Re)descobrir o Porto Santo, 2018 - Museu Colombo (Re)descobrir o Porto Santo, 2018 - Interpretação muros de croché (Re)descobrir o Porto Santo, 2018 - Projeto de reflorestação

De 20 de março a 22 de abril de 2019, esteve sujeito a auscultação pública a versão melhorada do dossiê de candidatura, incluindo a proposta de Plano de Ação, permitindo a consulta e contributos por parte da população. A 24 de junho comemora-se o Dia do Concelho e as festas envolvem toda a comunidade local numa semana de iniciativas de animação cultural que culmina com a apresentação das marchas populares nas principais ruas da cidade. Atendendo à candidatura em curso e à importância do envolvimento dos Porto-santenses na mesma, a Câmara Municipal do Porto Santo decidiu que o tema anual para 2019 seria: RESERVA DA BIOSFERA DO PORTO SANTO, contemplando ainda homenagens a personalidades e entidades locais, que merecem destaque pelos serviços prestados à comunidade e à Ilha do Porto Santo e sua identidade. Numa colaboração com a estação de rádio local e com o objetivo de divulgar a candidatura junto da comunidade, serão emitidos de julho a setembro de 2019, 28 spots, dois por semana, que realçam aspetos da identidade cultural porto-santense, bem como do seu património natural, reforçando a importância desta candidatura e promovendo o envolvimento da comunidade na mesma.

No âmbito desta candidatura e de forma a promover o conhecimento de aspetos relacionados com a cultura porto-santense, e ainda a proporcionar o envolvimento da comunidade local, os Museus do Porto Santo – Casa Colombo e Núcleo Brum do Canto, com o apoio da DRAPS, desenvolveram uma série de atividades abertas a toda a comunidade e outras específicas para a população escolar, que abordaram temas desde a descoberta pelos navegadores portugueses, João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, tradições como os cantares, a capacidade de resiliência com a construção de materiais a partir dos recursos endógenos, entre outros. Procurando promover e contribuir para a revitalização do artesanato local, convidou artesãos e desafiou a comunidade a escutar as suas histórias e a produzir materiais através das oficinas programadas. De forma a tornar estas histórias mais credíveis para os mais novos, os alunos da Universidade Sénior do Porto Santo foram convidados a ir às diferentes escolas falar do “seu” passado, das suas histórias de um Porto Santo diferente daquele que os mais novos hoje conhecem. Em todas estas iniciativas salientou-se, junto dos participantes, a importância da candidatura em curso e seus objetivos.

Projeto "Sabores da minha terra" Projeto "Músicas de outrora"

Ainda no âmbito desta candidatura, a DRAPS e a Universidade Sénior do Porto Santo implementaram o Projeto “Este é o meu, teu, nosso Porto Santo”, na EB1/Pré do Porto Santo com os alunos do 1º ciclo do Ensino Básico. O Projeto incluiu dois temas “Sabores da minha terra” e “Músicas de outrora”. O primeiro consistiu na elaboração de receitas tradicionais como a escarpiada, salada de serralha e rosquilhas com o apoio de alunos da Universidade Sénior e, o segundo tema, a aprendizagem de cantigas e cantilenas de tempos de outrora recolhidos pelos alunos da Universidade. O desenvolvimento deste e outros projetos, junto da comunidade escolar, permitiu, em articulação com a Secretaria Regional de Educação, que no próximo ano letivo a disciplina de Expressões Artísticas do 1º ciclo do ensino básico inclua cantigas e cantilenas porto-santenses no seu programa curricular, bem como que nas disciplinas de educação visual e tecnológica do 2º e 3º ciclos, se incluam técnicas do artesanato local, designadamente através da utilização do palmito.

Artesanato com palmito

 

Todas estas iniciativas permitiram informar e mobilizar a população num processo proativo e participativo, dando legitimidade e credibilidade ao processo de candidatura, bem como recolher contributos para a constituição e bom funcionamento da Reserva da Biosfera da Ilha do Porto Santo.

 

 

 

 

 

Promotores

logo CMPS           logo DRAPS           logo Folclore       logo aream

Logo SRA        Logo IFCN

Back to Top